Dias simples sempre são mais divertidos e marcantes do que aqueles que você planeja semanas ou meses para acontecer. Foi nesses dias simples que Beto teve a ideia de fazermos um jantar improvisado para um casal de amigos nossos. No máximo, fui a um mercadinho aqui do lado de casa, comprei vinho, alguns petiscos, mas, de resto foi tudo improvisado.
            Os jantares aqui em casa sempre foram regados de vinho, muita conversa fora e uma MPB bem de leve e baixinha no fundo da sala, nossos amigos vivem dizendo que nossa casa é pequenina, mas calorosa.
Como eu e Beto não temos filhos preferimos optar por um apartamento de um quarto, com uma varandinha delicada que é o nosso cartão de boas vindas, uma cozinha relativamente espaçosa, uma sala média e um banheiro muito simpático com azulejos azuis.
Nas conversas com nossos amigos Beto sempre liderou os papos com muita sabedoria. Antes de conhecê-lo ele sempre foi um homem muito viajado, fez cursos em alguns países e sempre gostou muito de aprender novas línguas e novas culturas. Fiquei observando meu gigante lindo introduzindo assuntos tão interessantes, sempre com tanta desenvoltura e inteligência de quem realmente entende do assunto. Me peguei olhando feito boba para o homem que não é galã de tv e nem é o super homem e o achei o mais incrível dos caras. Sempre o admirei pelo seu bom papo, pela sua astúcia, sua facilidade de envolver as pessoas ao seu redor com papos cabeça e até os mais fúteis, sempre com vivacidade e bom humor. Beto podia ser muitas das vezes, quieto e introspectivo, mas quando estava com pessoas íntimas ele realmente se abria para o mundo  e revelava o que só eu sabia: um homem bem humorado e engraçado.
Ainda bem que ele nas conversas sociais ficava tão envolvido que não percebia a minha cara de boba apaixonada, nunca o disse o quão fantástico ele era, o quanto eu era feliz ao lado dele. E de repente ele se virou para mim e com um sorriso no canto da boca respondeu sem mexer os lábios: também sou feliz ao seu lado!

Ouvindo: The Scientist - Coldplay

Cartas para Beto

by on setembro 19, 2018
            Dias simples sempre são mais divertidos e marcantes do que aqueles que você planeja semanas ou meses para acontecer. F...
Olá pessoas queridas.


Fiz um canal no YouTube sobre séries, por enquanto só estou criando montagens com os personagens. Mais para frente eu vou criar vídeos comigo aparecendo e falando também. Vou deixar o link aqui, vê se vocês gostam. Um beijo.

↓↓💓😁 Link do canal está ai abaixo. É só passar o mouse por cima que vai direto.

https://www.youtube.com/channel/UC9byWBbr8-byu4RmVNBaAyA?view_as=subscriber

Fiz um canal, gente!

by on setembro 08, 2018
Olá pessoas queridas. Fiz um canal no YouTube sobre séries, por enquanto só estou criando montagens com os personagens. Mais pa...

JENNY HUMPHREY - GOSSIP GIRL
Jenny é uma das personagens mais irritantes e problemáticas do mundo das séries. A maioria das pessoas detestava o jeito ambicioso que ela tinha de subir no mundo da moda, passando por cima de amigos e do seu próprio pai. Uma das cenas que mais desagradaram os fãs de Gossip Girl foi quando ela procurou meios para se emancipar aos 16 anos e com isso partindo o coração do mais amado pai de todas as séries:Rufus. Até quando Jenny procurava acertar ela acabava quebrando a cara, tadinha. Se tornou a nova rainha do colégio e as brigas com Blair Waldorf se tornaram icônicas. 

MARISSA COOPER - THE OC

Do mesmo criador de Gossip Girl, The OC também tinha seus personagens problemáticos. Josh Schwartz adorava criar personagens cheios de problemas que o público ficava dividido se amava ou odiava. Na época The OC as pessoas chegaram a criar comunidades no orkut do tipo: MORRE, MARISSA. Eu, particularmente adorava a personagem e o par que ela fez com o Ryan. Mas, a Marissa passava as vezes por problemas desnecessários só para causar impacto nos fãs. Da primeira até a terceira temporada, a Marissa já sofreu overdose em Tihuana, tinha uma relação complicada com a mãe que só pensava em dinheiro e em homens, pegou o ex namorado traindo-a, pegou o ex namorado namorando a própria mãe, ficou pobre, foi morar com o pai, roubou um relógio de uma loja cara, namorou com uma garota, se envolveu com marginal e isso tudo para morrer nos braços do seu par romântico: Ryan, após os dois terem sofrido um acidente de carro. Tudo em The OC girava em torno dos problemas da Marissa, UFA,! Quanta coisa, não?

CHUCK BASS - GOSSIP GIRL

 Me amem, me odeiem, mas falem de mim. Um dos personagens mais contraditórios, mais envolventes, mais problemáticos, o que deu o que falar e dá até hoje é o icônico Chuck Bass. Imortalizou uma das frases mais famosas no mundo das séries: I'm Chuck Bass. O Chuck merece um prêmio de primeiro lugar por ser o cara mais problema de Nova York. Riquinho, mimado, abusivo, drogado, largado pelo pai e abandonado pela mãe achava que podia comprar tudo e todos desfilando com a  sua limousine maneira. O par romântico e icônico com Blair Waldorf rola até hoje muitas desavenças e xingamentos nas redes sociais entre os fãs de Gossip Girl, afinal ele trocou a namorada por um hotel. Entre muitas idas e vindas, muita manipulação, muitos joguinhos Chair se eternizou na química forte entre o ator Ed Westwick e a atriz Leighton Meester e é claro dando muito pano para manga até hoje quando se fala em Chuck Bass. 
JEREMY GILBERT - THE VAMPIRE DIARIES

Para mim é o personagem mais blasé e mais desnecessário de The vampire diaries. Sempre achei o Jeremey muito chatinho e eu sempre torci para seu personagem morrer por algum vampiro, mas isso nunca aconteceu. Além do ator ser péssimo na sua atuação o que deixou o personagem mais fraco do que já é. O Jeremy era problemático pra cacete, se envolveu com drogas, se envolveu com a Vick que também tinha problemas com drogas, vivia dando trabalhando para a irmã, Elena. Depois que começou a namorar a Bonnie ficou mais chato ainda. Enfim, ele era maior mala.

Tate - American Horror Story
Eu amo os personagens do Evan Peters, a maioria dos seus personagens em AHS são problemáticos e psicopatas hahaha mas nenhum deles é mais maluco e mais problemático do que o Tate da primeira temporada. O Tate era um adolescente que invadiu a escola e matou a sangue frio vários adolescentes e depois disso se matou com uma arma na cabeça. Após a sua morte ele fica preso na Murder House que é o tema da primeira temporada de AHS e ele passa a se consultar com o psiquiatra que é o dono da casa, só que o psiquiatra não sabe que ele está morto. E o seu paciente começa um namoro puro e envolvente com a filha dele, Violet. Amo demais esse casal! E amo mais ainda os personagens psicopatas que o Evan faz tão bem.

MONA - PRETTY LITTLE LIARS 
Não sei vocês, mas eu amo a Mona. Adoro esses personagens coadjuvantes que acabam roubando a cena dos principais. A Mona é uma das maiores psicopatas de Pretty little liars, para mim ela tinha que ser a A. Vilã de uma das maiores séries de suspense, a personagem de Janel conseguiu se tornar uma das maiores personagens icônicas da série. Quando a gente vê a Mona lá na primeira temporada, com poucas cenas, meio bobinha, meio fútil, não imagina que ela vai se transformar na melhor personagem de PLL. A Mona já tinha todo um histórico de psicopata e problemática, ela começou na escola toda feinha, de aparelho, se tornou alvo fácil do bullying da Alisson. E por aparentar ser frágil, entrou para o time da A para matar a Alisson e atormentar as meninas. Depois  do sumiço e da suposta "morte" da Alisson, ela se torna  a nova garota popular e bela da escola junto com a Hanna. Entre as seis temporadas muita água rola debaixo da ponte, as meninas acabam descobrindo que a Mona faz parte do time da A para atormentá-las e ela acaba sendo internada em um manicômio. Depois muita coisa acontece, muitas coisas mudam e o bom que vai ter um spin-off com a nossa querida Mona e Alisson juntas novamente.


Bom gente esses foram os personagens mais problemáticos que me marcaram e que eu consegui lembrar. Se faltou algum, deixe aqui embaixo dos comentários. Beijos.