Dos mesmos produtores de Gossip Girl e The O.C, Dynasty estreou em outubro e com apenas dois episódios já mostrou que é uma série de peso. Muito diferente do que estamos acostumados a ver de Josh Schwartz e Stephanie Savage sempre nos mostrando cenários adolescentes, sua nova série é bem diferente de outras produções. Só que Dynasty é um tipo de remake dos anos 80, produzida pela emissora ABC.

A série foi criada nos moldes de Dallas, tendo inclusive algumas características semelhantes, como as duas se tratarem de séries cujo foco são famílias petroleiras. Dinastia é considerada como a série rival de Dallas.


Sinopse

O bilionário Blake Carrington e a jovem Cristal (Nathalie Kelley) estão prestes a se casar, mas a notícia não parece agradar a todos, principalmente à filha do empresário Fallon Carrington (Elizabeth Gilles). Como se os conflitos entre as duas já não fossem suficientes, Blake precisa encarar a terrível rede de corrupção da alta sociedade, que pode acabar em assassinato.

Ainda contamos com Nathalie Kelley que interpretou a sereia em The Vampire Diaries e Alan Date que fez o milionário Cal Cooper em The O.C (para matar a saudade), agora ele é o mordomo que tudo vê e tudo sabe da família Carrington.


Apesar de vermos personagens semelhantes (não tem como não comparar o mesmo jeito da vilã Fallon com Blair Waldorf) eu gosto muito da temática que o Josh sempre usa de mostrar a vida dos poderosos, das ricas mansões, das badaladas festas isso tudo num jogo muito arriscado de poder e sedução e agora agradando e abrangendo um público maior, adulto. A série ainda está bem no começo e na netflix é anunciado cada novo episódio por semana, mas acredito que o enredo está muito bom e tem tudo para dar certo. Além do mais tem cenas bem engraçadas de brigas com a Fallon e a Cristal que agitam mais ainda as cenas. A novata Elizabeth Gilles (Fallon) está dando um show de interpretação de vilania, estou apostando muito nela para o sucesso da série. Se você ainda não conhece a série, corre lá para o netflix. E quem já assistiu os dois primeiros episódios comentem aqui, quero saber a opinião de vocês. Beijos!



Já tem algumas semanas que venho me inspirando a escrever esse texto. Também encontrei grande resistência ao publica-lo, muitas pessoas podem discordar de mim mesmo assim decidir falar sobre isso.

O MAL DA INTERNET

Eu sei que vivemos em um mundo globalizado, dinâmico e tudo hoje em dia chega de forma rápida e instantânea, mas o que eu venho percebendo principalmente depois de 2010 como a internet tem servido mais para o lado ruim do que para o lado bom. As pessoas se aproveitam que estão atrás de um computador ou celular para escreverem besteira e principalmente para ofenderem o outro. Antes fosse só isso, o que eu venho acompanhando é como os relacionamentos estão se tornando cada vez mais doentios, uma pessoa controla a outra pela bendita internet. São senhas invadidas, conversas sendo lidas sem permissão, uma exibição desmedida da sua própria imagem. Vocês sabiam que agora tem um aplicativo que ao ser instalado e ele fica ali escondido como se fosse um vírus no celular do namorado (a) para você receber as mensagens do whatsapp no seu celular?! Eu fiquei muito chocada quando escutei isso pela primeira vez. Até onde as pessoas são capazes de chegar? Eu não sei vocês, mas para mim isso denota um evidente desespero mental e emocional.

Dedos estão entortando, coluna está ficando com escoliose, a visão se tornando padronizada, relacionamentos estão sendo destrutivos e isso tudo para que? Para ter milhares de curtidas na sua foto na praia ou para tirar aquela selfie na academia que você só frequenta para mostrar como você é gostoso (a) e nem malha de verdade. 

Eu tenho Instagram também, posto fotos, mas defendo que tudo tem que ser medido e dosado, vamos parar de figuração. Quando eu exclui de vez a minha conta no FACEBOOK em maio deste ano, eu percebi como me senti livre, como aquilo me fez bem. Como eu percebi o quanto eu estava sendo autoritária e dona da verdade seguindo modinhas de redes sociais e me metendo nas postagens dos outros para expor minha verdade absoluta e aceitando os comentários ofensivos dos outros também. Decidi que não aceitaria mais aquilo e nem aceitaria mais expor minhas opiniões e ideias. Isso tudo para que? Opinião cada um tem a sua e é melhor guardar para você. Ninguém muda a cabeça de ninguém. Chamar uma pessoa de burra ou preconceituosa não te faz ser mais inteligente ou mente aberta. Para mim isso é falta de argumento inteligente para rebater tal ofensa. Seguir modinhas, participar de campanhas na internet, mudar a foto do perfil para arco-íris, repetir frases feitas não vão fazer o mundo se tornar melhor, mas sim suas ações fora da internet.

Acredito que a Era da informação do século XXI está se tornando mais para o mal do que para o bem, sem contar as inúmeras crianças sendo adulteradas, criando canais no YouTube, falando como adultas e perdendo a melhor época da vida que é ser inocente. Mas, isso já é um post para um outro assunto. 
À LA PROCHAINE!
American Horror Story desde 2011 dá pano para manga, embalado por suas histórias cada vez mais macabras, enredo bem bolado, abertura chocante e criativa, personagens psicopatas e um elenco afiado que já contou até com a participação de Lady Gaga na quinta e sexta temporada. Nessa temporada atual denominada Cult, estou achando que está um pouco parado e deixando a desejar. O legal é que cada temporada por apresentar uma história nova elas estão sempre sendo interligadas com as anteriores. Acho o Ryan Murphy (criador) um gênio por conseguir ter tanta criatividade para interligar tantas temporadas com histórias diferentes.

A história desse ano tem como pano de fundo as eleições dos Estados Unidos e com a vitória do candidato Donald Trump desperta extremismos tanto por quem votou nele como quem votou na Hilary. A personagem da maravilhosa Sarah Paulson (que se encontra desde o começo da série, sempre arrancando elogios por sua atuação maravilhosa) é homossexual, casada, com um filho, bem sucedida, mas com a vitória de Trump sua vida vira do avesso e suas fobias e paranoias voltam com força total como o medo de palhaços, pânico de lugares fechados, entre outros. Do outro lado se encontra o personagem do Evan Peters (também desde o começo e o seu forte é interpretar psicopatas) o personagem do Evan manipula o medo das pessoas contra elas mesmas e é totalmente obcecado com a política, ele quer se candidatar como vereador e acredita que a eleição do novo presidente é o começo de uma nova Era. 

                                                                            Evan Peter na sétima temporada
O que eu sempre gostei em American Horror Story é que a gente nunca sabe quem é o bonzinho, o que a gente acha na verdade é outra totalmente diferente e até que ponto chega os distúrbios psicológicos das pessoas, o que é considerado paranoia acaba se tornando real causando pânico entre os personagens e fazendo todas as histórias se interligarem. Eu sempre fico bem entusiasmada com cada novo começo de temporada de AHS, mas confesso que esse ano estou achando muito fraca. Em outras temporadas já vimos tripas sendo arrancadas, já vimos personagens sendo queimados vivos, fetos armazenados em potes de vidro, até no sentido horror como diz o nome da série está sendo beeeem parado esse ano. Eu acredito que essa temporada está sendo focada mais na desordem mental das pessoas e até que ponto elas são capazes de alcançar o que querem e de como muitas são cegas pelo ódio e se deixam levar facilmente pelo mal. Até agora estou achando a temporada bem tranquila, porque o Ryan Murphy (criador) sempre gostou de chocar com o horror e o terror, mas acho que vale muito a pena só pelo show que o Evan sempre dá como psicopata e a maravilhosa da Sarah sempre apresentando versatilidade em seus personagens icônicos. 

E vocês que já assistiram alguma temporada antiga ou estão assistindo essa nova temporada o que acharam? Ainda tem bastante água para rolar em baixo da ponte, espero que o Ryan me surpreenda e melhore os episódios Eu acho que eu estou sentindo falta de alguns atores que são muito bons e deram um show em temporadas passadas e não estão nessa, pode ser isso também. Beijo para vocês, gente.
                                                                   Sarah Paulson na sexta temporada