Um dia me disseram que o problema do mundo é amar demais, eu digo que o problema é amar de menos. É o amor que nós não damos, é a ligação que nós não fazemos, é o bom dia que nós não respondemos, é a saudade que a gente não mata. Calamos diariamente o que sentimos por medo de sofrer e acabamos nos sabotando e sofrendo da mesma forma.

Você se lembra como costumávamos ser? Nós éramos mais silêncio do que palavras, mais ausência do que presença. Te digo que hoje eu quero enxergar a luz e não andar mais sobre as trevas, quero dias de sol, quero aquele sentimento de paz de uma tarde de domingo. Você era mais ventania do que brisa e eu não quero me sentir como se um furacão arrasasse a minha vida. Você chegou como um terremoto deixando tudo fora do lugar, como se minhas pernas não pudessem mais estar fixadas ao chão e você me levou para um mundo onde as minhas insanidades acreditavam ser prazeroso.

Uma mistura de prazer com dor, mais dor do que prazer. Somos dois covardes na arte de jogar com o coração e somos passionais demais para vivermos juntos sem um devastar a vida do outro como um tornado que leva tudo consigo, sem piedade. Te digo, que hoje ando mais leve, mais solta, quero tardes com sol, quero caminhar pela praia sem sentir aquele peso em cima de mim. O nosso problema, meu amor, sempre foi a palavra que nós não dissemos, o grito que nós não demos e o silêncio que respondeu todas as perguntas.


Eu preciso da calmaria que eu não encontro em você, eu quero alguém que me segure quando eu estiver prestes a cair, diferente daqueles teus temporais que me deixavam no chão.
É triste pensar que nós não teremos mais o que conversar, não passaremos de sorrisos amarelos, frases soltas e repetidas de quem não tem mais nada em comum.  

Intensidade

by on setembro 17, 2017
Um dia me disseram que o problema do mundo é amar demais, eu digo que o problema é amar de menos. É o amor que nós não damos, é a l...
Hoje eu vim falar sobre as mudanças da vida, sobre as nossas mudanças interiores. Esse ano, eu tenho me descoberto bastante, tenho prestado mais atenção nas coisas que eu falo, nas coisas que eu escuto, nos sinais que a vida dá.  Eu tenho dado preferência para ficar em casa ultimamente, porque você sai e se aborrece, gasta um dinheiro que não pode e para se sentar com pessoas babacas que estão ali para te cutucar, para falar besteira no seu ouvido e você ainda tem que dar um sorriso amarelo e fingir que ta tudo bem só para não causar um climão. Não sei se é uma influência do meu signo, gêmeos, (por ser versátil e aberto a mudanças) ou se é uma característica da minha personalidade mesmo, mas eu sempre me vi mudar muito rapidamente, as vezes de ano para ano, de seis em seis meses eu percebia como meus pensamentos e minhas atitudes iam tomando uma outra forma e proporção. 

Mas, tem certas pessoas do nosso cotidiano que não segue o mesmo ritmo que o nosso. As vezes, são pessoas que estão sempre com a gente, que fazem parte da nossa rotina, mas elas não se encaixam mais na nossa vida. Ou nós podemos ficar meses ou anos sem ver uma determinada pessoa, mas quando a encontra você percebe como aquela pessoa continua a mesma e ela não se encaixa mais no que você é hoje em dia, provavelmente se encaixava na pessoa que você era. Tem gente que não muda, não adianta. Para nós mudarmos estamos que estar abertos a ouvir, a dar opinião sem ofender, a não agredir, a não impor. Tem gente que aparece na sua vida para te agredir ou para te colocar para baixo, te menosprezar. 

Eu acho que ninguém precisa disso, o mundo já está tão cheio de críticas, nós precisamos de gente que nos coloque para cima, de gente que nos incentive e que nos defenda quando não estivermos presentes. Claro, somos todos falhos, não digo que sou a pessoa mais centrada e coerente do mundo, mas se eu não puder ajudar, eu procuro não criticar mais. Se nada que sair da sua boca for positivo ou construtivo na vida de alguém o que você está fazendo nesse mundo? Estamos rodeados de pessoas que é tudo "eu", "eu agiria assim", "eu sou assim", o meu ego. Você já parou para pensar em se auto criticar um pouquinho ao invés de só criticar o outro? O que pode ser certo para você pode ser errado para outra pessoa e tudo bem. Que bom que vivemos com pessoas que pensam diferentes de nós. Tem gente que só critica o outro para se sentir importante, para se sentir melhor. E temos que nos afastar mesmo, temos que estar cercado de pessoas que tem a mesma sintonia que a nossa. Bloqueie mesmo, exclua mesmo, se afaste mesmo, ninguém é obrigado a nada. Não se aborreça, não desça o mesmo nível. Eu mudei muito nisso, não me aborreço mais, me afasto e fim de papo. Afinal, temos que andar com pessoas que nos sentimos bem, que nos faça bem, que vai acrescentar algo de positivo na nossa vida. Pessoas que vão te ajudar a crescer, não com ofensas, não impondo, mas sim com cumplicidade, com companheirismo. Pessoas que nos colocam para cima são poucas.