Velhos conhecidos

/ abril 15, 2018



Quantas pessoas passaram pelo seu caminho! Foram muitas, muitos nomes, todo tipo de rosto e de gente. Poucas são as que você recorda com saudade, com um sorriso afetuoso nos lábios, daquelas que você guarda com carinho retratado em uma foto de momentos inesquecíveis e juras de lealdade eterna. Mas, a vida as levou para longe, seja por desentendimentos ou mesmo pela falta de tempo. Falta de mostrar o que sente, de um horário na agenda, nem que fosse um minuto para perguntar: Oi, como você está? Falta de interesse, falta de paciência, falta de tudo. Para cada pessoa um sentimento diferente, uma afeição, uma intimidade maior que foi construída pouco a pouco em bases que não pareciam ser tão sólidas quanto você achava, para poderem se desmanchar com tanta facilidade. A esses “amigos” você costuma perguntar para si mesmo o que levou caminhos que costumavam ser tão paralelos hoje são completamente opostos. A esses que você costumava estar todos os finais de semana juntos, abrir a porta de casa para entrarem e ainda fazerem parte dos almoços da família, a dividir, a somar. Quanta conversa jogada fora no telefone ou em uma simples mesa de bar! Quantas horas por ali se estendiam nos intermináveis papos de esquina, risadas, uma troca de confissões e confiança. Das muitas que você conheceu pela estrada fora, são poucas que lhe trazem lágrimas aos olhos, coração apertado e a certeza de um tempo que ficou para trás. Das risadas escandalosas, dos papos cabeça sobre o futuro ou mesmo que fosse um mínimo apreço a companhia um do outro, só por estarem juntos na beira do portão e trocarem olhares cúmplices sobre si mesmos, sobre a vida, sobre a amizade que alimentavam. Das lembranças que construímos desse pequeno instante chamado passado foram poucos os “amigos” que você se atreveu a confiar, a acreditar em um futuro bom e continuarão sendo poucos os que você levará até ao seu ultimo suspiro, até a sua ultima gota de existência.




Quantas pessoas passaram pelo seu caminho! Foram muitas, muitos nomes, todo tipo de rosto e de gente. Poucas são as que você recorda com saudade, com um sorriso afetuoso nos lábios, daquelas que você guarda com carinho retratado em uma foto de momentos inesquecíveis e juras de lealdade eterna. Mas, a vida as levou para longe, seja por desentendimentos ou mesmo pela falta de tempo. Falta de mostrar o que sente, de um horário na agenda, nem que fosse um minuto para perguntar: Oi, como você está? Falta de interesse, falta de paciência, falta de tudo. Para cada pessoa um sentimento diferente, uma afeição, uma intimidade maior que foi construída pouco a pouco em bases que não pareciam ser tão sólidas quanto você achava, para poderem se desmanchar com tanta facilidade. A esses “amigos” você costuma perguntar para si mesmo o que levou caminhos que costumavam ser tão paralelos hoje são completamente opostos. A esses que você costumava estar todos os finais de semana juntos, abrir a porta de casa para entrarem e ainda fazerem parte dos almoços da família, a dividir, a somar. Quanta conversa jogada fora no telefone ou em uma simples mesa de bar! Quantas horas por ali se estendiam nos intermináveis papos de esquina, risadas, uma troca de confissões e confiança. Das muitas que você conheceu pela estrada fora, são poucas que lhe trazem lágrimas aos olhos, coração apertado e a certeza de um tempo que ficou para trás. Das risadas escandalosas, dos papos cabeça sobre o futuro ou mesmo que fosse um mínimo apreço a companhia um do outro, só por estarem juntos na beira do portão e trocarem olhares cúmplices sobre si mesmos, sobre a vida, sobre a amizade que alimentavam. Das lembranças que construímos desse pequeno instante chamado passado foram poucos os “amigos” que você se atreveu a confiar, a acreditar em um futuro bom e continuarão sendo poucos os que você levará até ao seu ultimo suspiro, até a sua ultima gota de existência.

Continue Reading

Vocês já pararam para perceber que estamos caminhando cada vez mais para uma sociedade mais ansiosa? E quais os problemas que isso pode ocasionar para o nosso organismo? Estresse, dores, insônia, doenças. Essa posição que o mundo nos coloca de que temos que nos formar numa idade x, temos que ser bem sucedidos na nossa profissão antes dos 30 ou precisamos casar para construir uma família, se não vamos morrer sozinhos, entre outras exigências que não apenas os outros nos fazem como nós também nos fazemos. 

Essa obrigação de que temos que ter tudo para ontem está nos deixando doentes, não apenas fisicamente como também emocionalmente. Parece que o nosso melhor nunca é o bastante. Agora eu pergunto para vocês: Nós estamos dando nosso melhor para quem? Para os outros ou para nós mesmos? Será que estamos nos doando ao ponto de não percebemos que estamos atravessando a barreira do limite e nos fazendo mal? 

Tenho pensado seriamente em voltar a fazer análise para me ajudar com as crises fortíssimas de ansiedade as quais eu venho sofrendo. Quando eu percebi que eu estava me doando mais do que eu estava recebendo e ficando doente por causa das crises de ansiedade, eu percebi que eu ultrapassei a barreira do limite e ficando doente com isso. Precisamos parar por uns instantes, parar de correr tanto e prestar mais atenção nos sinais que o nosso corpo nos dá para enfrentarmos com otimismo essa loucura da nossa sociedade. 

Olá queridos!

Hoje vim falar sobre uma cidade que eu amo muito e sempre quando eu posso eu dou uma fugida para lá, Petrópolis no Rio de Janeiro. Quem nunca foi e tem vontade de conhecer ou quem conhece e adora passar uns dias assim como eu, venha olhar o mini roteiro que eu fiz sobre os pontos principais da cidade e sobre sua história.

História de Petrópolis - Cidade Imperial

O Imperador D. Pedro I a caminho de Minas Gerais pelo Caminho do Ouro, hospedou-se na fazenda do padre Correia e ficou encantado com a região. Adquiriu uma fazenda vizinha, a Fazenda do Córrego Seco, que passou a ser chamada Imperial Fazenda da Córrego Seco, onde pretendia construir um palácio. Seu filho, dom Pedro II, em 16 de março de 1843, assinou um decreto imperial pelo qual determinava o assentamento de uma povoação (a ser formada com a vinda de imigrantes alemães). A cidade foi projetada, a partir de então, em todos os verões, Petrópolis recebia toda a Corte que fugia do calor do Rio nessa época. 

Pontos Turísticos

Museu de Cera

O Museu de Cera da cidade de Petrópolis é um espaço sobre a história política, cultural e social do país e do mundo. 

Cervejaria Boehmia


A Cervejaria Bohemia foi fundada pelo alemão Henrique Kremer em 1853, se tornando a primeira cerveja pilsen a ser produzida no Brasil. Apelidada pela família real de “Ouro liquido” pelo seu sabor apurado, se tornou uma marca da cidade de Petrópolis.      



 Relógio das Flores

Desenhado em flores da estação, o relógio marca a passagem das horas com música digital, e é o maior relógio de ponteiros do Brasil.


Casa dos 7 erros

A casa foi cenário da novela Esplendor, da Globo nos anos 2000. As pinturas dos tetos são obra do pintor alemão Schaeffer e do pintor italiano Dall Ara Nos jardins, de autoria do paisagista francês August Glasiou, encontram-se estábulos com baias de ferro fundido, junto a um grande relógio de torre, considerado o mais antigo da cidade. 

   









  



                                                                                                                                                                             


Museu Imperial

O Museu Imperial funciona no antigo Palácio Imperial de Petrópolis, residência de verão de d. Pedro II e apontado pelo imperador em diários como um de seus locais preferidos. Aqui, o público pode encontrar um pouco sobre a história do Império brasileiro e sobre a família imperial. O acervo, que conta com peças emblemáticas, como a famosa coroa do imperador, é distribuído por cômodos que reconstroem o cotidiano da família em Petrópolis.
Palácio Quitandinha

Construído em 1944, com a finalidade de ser o maior cassino da América do Sul. Segue o estilo normando-francês possuindo 50 mil metros quadrados em seis andares, divididos em 440 apartamentos e 13 grandes salões com até 10m de altura. A cúpula do Salão Mauá onde funcionava o cassino é a segunda maior cúpula do mundo com 30m de altura e 50m de diâmetro, provocando um efeito acústico excepcional. Possui um teatro com palcos giratórios, camarotes e capacidade para 2.000 pessoas, além de amplos salões.


Bom, gente é claro que a cidade possui muito mais pontos turísticos interessantes, mas esses são meus favoritos. Espero que tenham gostado. Beijão.
 


 
Olá pessoas queridas!
Fiz um top de amizades. Não conheço todas as séries, mas se tiver alguma que vocês curtem que ficou de fora dessa seleção, deixem aqui o nome nos comentários que eu vou pesquisar, me aprofundar na história e colocarei aqui na próxima. 

FRIENDS
Começaremos por Friends, não tem como deixar de fora o clássico de amizade de séries mais lembrado nos últimos dez anos e o nome já diz tudo. A clássica série de comédia onde amigos dividiam o mesmo apartamento, nas maiores trapalhadas e nos divertiam com piadas leves e bem humoradas. 


Pretty Little Liars
Comecei a ter oportunidade de assistir PLL esse ano e já estou acabando a segunda temporada. Tenho mania de começar a assistir séries depois que elas acabam, mas o quinteto de Aria, Hanna, Spencer, Emily e Alison não poderia ficar de fora dessa já que elas provam a todo momento que sempre estão ali do lado quando alguma delas sofre perigo ou tem sua vida arriscada por A. O suspense de Pretty Little Liars nos deixa a todo o momento roendo as unhas, a gente nunca sabe quem pode ser a próxima vítima. 

The Vampire Diaries
As amigas Elena, Bonnie e Caroline tiveram muitos momentos fofos e marcantes e sempre arriscando a própria vida para o bem do grupo e das pessoas que amavam. Com muita mordida de vampiro, muito sangue, muito desligamento da humanidade elas ainda estão ali apoiando uma a outra.
The OC
A amizade do quarteto Seth, Ryan, Summer e Marissa. Ou simplesmente só Summer e Marissa ou Seth com Ryan, sempre quando se juntavam eles se metiam em confusões e os mesmos consertavam ou tentavam consertar em muitos episódios que eram mais agitados, em que eles tinham que correr de um lado para o outro ou até mesmo "voar" com o próprio carro para salvar uns aos outros. São meus amigos favoritos, fizeram parte da minha adolescência e já revi The OC umas quatro a cinco vezes. 

 Full House / Fuller House
DJ e Kimmy é a prova de que a amizade pode durar uma vida inteira, tanto na série quanto na vida real. A Candace e a Andrea que interpretam DJ e Kimmy desde a infância são BFF também na vida real. Dou vários berros quando saem fotos delas juntas fora dos bastidores. Aquela amizade margarina que você cresce com a pessoa e depois ela vê os seus filhos nascendo e crescendo, aquela amiga que faz parte da sua família também. 


Full House / Fuller House
Mais uma vez repetindo, essa série é tão gostosa que todo mundo do elenco sempre foi super unido e amigo, muito raro de se ver. Não poderíamos esquecer de Jesse, Danny e Joe. Aquela amizade vintage que vigora desde os anos 80 na tv e fora dela.

Gossip Girl
Também existe amizade na elite de Manhattan. Blair, Chuck, Nate e Serena estão sempre correndo contra o tempo para livrar a cara de um dos seus contra as fofocas da Gossip Girl e de outros vilões que aparecem ao longo das temporadas. Com muito champanhe,  muita passagem de primeira classe, muito dinheiro, subornando a tudo e a todos, eles sempre estão lá quando um deles chama.  

Stranger Things
Acho muito bacana a amizade deles dentro da série e fora dela. Dispensa comentários para Stranger Things.


Full House foi um sucesso dos anos 90 por oito temporadas e ainda lançou talentos como Mary-Kate e Ashley Olsen. E trinta anos depois os fãs foram deliciosamente recebidos com a notícia de que a Netflix produziria a volta desse seriado tão marcante na infância de todos nós, com a mesma proposta e com o mesmo elenco. 


Sinopse
Como na série original, a sitcom se passa em San Francisco. D.J. Tanner-Fuller (Candace Cameron Bure) perdeu recentemente o marido. A sua irmã mais nova, Stephanie Tanner (Jodie Sweetin) aspirante a cantora, e DJ. E sua melhor amiga, mãe divorciada, Kimmy Gibbler (Andrea Barber) – e sua filha adolescente Ramona (Soni Nicole Bringas), todas se mudam para a casa de D.J. para ajudá-la a cuidar dos três filhos dela – o rebelde Jackson (Michael Campion), de 13 anos, o neurótico Max (Elias Harger), de 7 e o bebê Tommy (Dashiell e Fox Messit). Mais tarde, Kimmy reata com o marido Fernando (Juan Pablo Di Pace) que passa a morar e a pertencer aquela família também.

Apesar de algumas piadas prontas, previsíveis e repetidas Fuller House não perde a magia do básico sitcom de comédia hollywoodiano com lições de moral nos finais de cada episódio, da mesma maneira que era representado a série original. Eu acho que está faltando na TV séries e novelas leves, que buscam retratar, mesmo de forma caricata e rotineira, a leveza, a suavidade e que sirvam de exemplos positivos para crianças e adolescentes. 

2017 foi o ano que Full House completou 30 anos desde que o seu primeiro episódio foi ao ar, Fuller House veio com a mesma proposta e temática, mas se adaptando com a transformação do mundo, da sociedade de uma forma bem atual e divertida. É muito bom quando você é fã de uma série e você enxerga aqueles personagens ainda crianças e adolescentes e após 30 anos elas já são mães, cada uma com a sua profissão e o que deu certo e errado na suas vidas. É como se você nunca tivesse deixado de acompanhar a vida delas, a gente sempre quer ver um pouquinho mais do último episódio, da última temporada. Ah, o que aconteceu na vida do fulano? O que aconteceu depois do "e foram felizes para sempre"? Fuller House já se encontra na terceira temporada e todas podem ser encontradas na NETFLIX.

Uma salva de palmas para a NETFLIX que nos trouxe novamente uma série tão gostosa sobre família, amizade e união. O mundo está precisando de histórias mais leves, de histórias assim que nos enchem de orgulho por sermos fãs. 
                                                                         O ELENCO NOS ANOS 90


Olá pessoas queridas!
Vamos ao nosso último post do ano e nesse último post de 2017 eu quero dizer que gostei muito de ter passado esse ano com vocês. E que cada comentário, cada visitante me marcou de um jeito particular, muitos apreciavam cada linha de cada texto e comentava com entusiasmo, outros já eram mais tímidos, alguns não faziam a menor ideia de que qual assunto (série) eu estava abordando, mesmo assim prestavam atenção em cada parágrafo e também os que eram fãs e comentavam com entusiasmo compartilhando as suas opiniões também. 

Como esse é o último post do ano nada mais justo do que falar sobre as nossas expectativas para o próximo, fazer uma retrospectiva do que nós ganhamos e o que nós perdemos no ano atual que está terminando. O final de ano sempre dá um gostinho bom de renovação, de novas esperanças, novas oportunidades surgindo, de novas metas e novos planos. Eu sei que parece meio clichê, mas é a pura verdade, nós temos 365 dias de oportunidades para transformarmos cada dia num momento único. E se o ano de 2017 não foi o melhor para você, se teve mais luta do que glória, se foi o pior ano da sua vida, se você está encerrando em algum momento de dificuldade, se você está longe da sua família, não sei, mas saiba que você tem os próximos doze meses para fazer tudo diferente. 

É sempre bom nesse último mês do ano fazermos uma auto avaliação do que nós podemos melhorar como seres humanos, do que nós podemos modificar e transformar aquilo que nos deixa insatisfeitos e tristes com nós mesmos. Seja um novo emprego, seja aquele relacionamento que precisamos dar uma sacudida, seja aquele hobby que nós queremos voltar a praticar ou que sempre tivemos curiosidade, seja fazer aquela viagem internacional que a gente tanto almeja, enfim, qualquer que seja o seu plano de mudança de vida eu desejo que você realize em 2018. Fé e esperança para todos nós porque estamos precisando nesses momentos difíceis. 

Feliz ano novo, galera!
Olá pessoal. Vim desejar Feliz Natal para todos e trazer para vocês algumas séries que tiveram e tem episódios de Natal. Eu postei algumas, nem todas eu assisto ou já assisti. Eu trouxe as mais clássicas mesmo que todo mundo lembra. Quem quiser fazer algum pedido de alguma série que eu tenha esquecido pode fazer. Um beijo para todos!

1- A primeira série clássica é Friends. Trouxe o episódio mais engraçado Ben passa o Natal com o pai, Ross, que planeja ensiná-lo sobre o Hannukah, que seria o Natal judeu. No entanto, o garoto quer ver o Papai Noel. Mas quando Ross vai comprar uma fantasia do bom velhinho, ela já se esgotou. No fim das contas, o episódio termina com Ross vestido de tatu, Chandler de Papai Noel e Joey de Superman. O final é impagável, com o comentário de Rachel, quando todos estão acendendo as velas do Hannukah no escuro: “Meu Deus, o que é isso? O velório do coelhinho da páscoa?”


2- O sinônimo de Full House é nostalgia. Quem não se lembra dos episódios icônicos de Natal da família Tanner e suas trapalhadas? Essas cenas marcaram a nossa infância, a nossa adolescência e nunca cansamos de rever, seja no SBT ou na Netflix. Esses episódios nos lembram os natais na casa da vovó e tem cheirinho de infância hehehe Representa muito bem a palavra família.

3- E trinta anos depois Full House volta como Fuller House, produzida pela Netflix. E não perde a essência da comédia familiar. É muito bom ver o Natal da DJ, Steph e Kimmy já adultas e mães.

4- Nenhuma outra série foi tão famosa por representar o Natal como The O.C, que representou muito bem em todas as suas temporadas e nos apresentou o Hannukah, o natal judeu junto com Seth e toda a sua família. Essas cenas eram as melhores da série.

5- Gossip Girl foi marcada mais pelas cenas do Thanksgiving representado em todas as temporadas. Mas, na primeira temporada o Natal na casa da Blair Waldorf foi bem animado junto com a elite de Nova York e com muita neve.

6- É o primeiro Natal da série Dynasty, mas já chegou lacrando junto com o Thanksgiving, cheio de momentos de tensão, dança, futebol americano e um desfecho surpreendente. Na minha opinião se tornaram os melhores episódios da temporada. Por mais episódios de Thanksgiving e de Natal na segunda temporada.

É isso pessoal, um Feliz Natal para todos!